A Orquestra Experimental da UFSCar apresenta o concerto “Infinito em todas as direções”, inspirado nas origens da matéria, do Universo e, em última instância, da vida na Terra.

O projeto é uma promoção do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), integrando suas atividades de difusão científica, com realização da Orquestra e do Laboratório Aberto de Interatividade para a Disseminação do Conhecimento Científico e Tecnológico (LAbI) da UFSCar.

WEBSITE DO PROJETO
MAIS INFORMAÇÕES

O título do concerto – “Infinito em todas as direções” – é inspirado no livro homônimo do físico Freeman Dyson e carrega com ele a metáfora do Universo e suas dimensões infinitamente grandes e pequenas, além de infinitamente belas. Partindo da ideia da Antiguidade de que os cinco elementos – Terra, Água, Fogo, Ar e Éter – seriam formadores de tudo o que existe, a apresentação conta a história da criação da matéria e da vida no Universo e em nosso planeta, aliando músicas e imagens ao conhecimento científico. Cada elemento representa um dado da criação: a Terra é a metáfora para o mundo material tal qual o conhecemos; a Água representa a origem da vida; o Fogo aparece como elemento transformador da matéria; o Ar traz a amplitude da racionalidade e inteligência humanas; enquanto o Éter leva ao espaço, ao infinito, representando a ponte entre os átomos e as galáxias.

O concerto apresenta nove músicas, sendo cinco delas inéditas, compostas especialmente para o projeto. As composições Terra, Água, Fogo, Ar e Éter são de autoria de Lenon Tagliaro, Tiago Pallone, Emiliano Sampaio, Guilherme Picolo e Vinicius Sampaio, respectivamente, com arranjos de Lucas Joly para as demais músicas. Além da performance da Orquestra, o concerto conta com narrações e projeção de vídeos produzidos pelo LAbI, também especialmente para o projeto.

Atores

O CDMF, dirigido por Elson Longo da Silva, professor da UFSCar, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe também investimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN). Uma de suas frentes de atuação, juntamente com a pesquisa e a inovação, é a difusão científica, desenvolvida em parceria com o LAbI, laboratório especializado em divulgação científica atuante há 10 anos na UFSCar, sob a coordenação de Adilson de Oliveira, docente do Departamento de Física, e da jornalista Mariana Pezzo.

Já a Orquestra Experimental da UFSCar atualmente conta com 110 músicos de diferentes idades, de São Carlos e outras cidades da região, além de estudantes de graduação e pós-graduação e servidores docentes e técnico-administrativos da UFSCar, sob a regência de Maria Carolina Leme Joly, docente do Departamento de Artes e Comunicação da Universidade, e Lucas Joly. A Orquestra, fundada por Ilza Zenker Leme Joly, é conhecida pela descontração de seus participantes, seu repertório diversificado, e pela formação instrumental diferenciada, que agrega instrumentos convencionais de orquestra a instrumentos populares.

A parceria entre o CDMF, a Orquestra e o LAbI teve início em 2015, com o “Concerto para as estrelas”, na inauguração do Observatório Astronômico da UFSCar.

Laboratório Aberto de Interatividade
Holler Box